Blog

Missão empresarial: Maringaenses visitam Fundação Certi em Florianópolis

A visita tem o objetivo de sensibilizar setores para implantação de Parque Tecnológico em Maringá.

 

Comitiva liderada pelo CIM, formada por representantes do setor de Tecnologia da Informação (TI), da Prefeitura Municipal e Universidade Estadual de Maringá, e empresários esteve no último dia 20, na Fundação Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras (Certi), em Florianópolis. A visita teve o objetivo de visitar e saber um pouco mais sobre o Certi, tendo a entidade como base para implantação em Maringá de um Parque Tecnológico.

A Certi foi criada em 1984 a partir das atividades do Laboratório de Metrologia do Departamento de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), com participação de empresas privadas e públicas e órgãos dos governos federal e estadual. A entidade é composta por oito centros de referência que atuam com foco em competências geradoras de soluções tecnológicas inovadoras.

Em 2005, a Certi estabeleceu o novo marco zero do seu empreendimento de inovação, o Sapiens Parque. Segundo o Portal G1, em 2016, a fundação desenvolveu 123 projetos, a maioria com soluções diferenciadas e inovadoras em segmentos estratégicos como aeronáutica, saúde, agronegócios, energia, fintech, desenvolvimento econômico-ambiental-social, entre outros.

Em 1986, a Certi implantou a incubadora Celta, que incorporou diversos programas de empreendedorismo inovador, como o Sinapse da Inovação que apoiou 385 empresas; e o programa de aceleração InovAtiva, com apoio a 415 empresas, entre outros.

 

Comitiva 

Entre os participantes da comitiva, estava representando o CIM, Luiz Antônio Mendonça, da Universidade Estadual de Maringá, a Secretaria da Reitoria, Graciette Matioli,  do setor de TI,  Rafaela Campos Benati, Joaquim Cardoso e Cesar Rael, presidente, diretor e gerente da Software by Maringá (SbM), respectivamente; Luis Marcos Mancebo Campos, coordenador do APL de Software de Maringá e Região; e Marcese Maschietto, presidente do SindiTI.

Pela prefeitura estiveram presentes o vice-prefeito Edson Scabora; o secretário de Inovação e Desenvolvimento Tecnológico, Francisco Favoto; o Procurador do Município, Eliseu Alves Fortes e o diretor de Inovação, Franz Wagner Dal Belo. Pelo Codem, participou o gerente João Ricardo Tonin.

Em Florianópolis,  os maringaenses se reuniram com Renan Schaefer, Analista de Investimentos do Sapiens Parque (cventures) e Eliza Coral, Coordenadora de Projetos da Fundação Certi. As duas primeiras visitas foram na Fundação Certi. Na Incubadora Tecnológica, o encontro foi com Leandro Carioni, diretor Executivo do Centro de Empreendedorismo Inovador (CEI) e Anderson Wustro, Chief Marketing Officer. Também houve encontros com Marcos Mueller, Managing Partiner do Programa de Aceleração Darwin Starter, e Pedro Marton Pereira, CEO do Centro de Inovação ACATE.

Impressões 

Luiz Antônio Mendonça, presidente do CIM comentou que a viagem foi muito interessante, pois demonstra como a economia daquele município foi alterada a partir do Parque Tecnológico. “Temos o modelo que certamente pode ser seguido por Maringá. A intenção da visita foi realmente essa, de visualizarmos o exemplo de como o investimento em um parque tecnológico para todos os setores muda a estrutura econômica, favorecendo o município”.

Rafaela Benati acredita que as mudanças foram interessantes porque o novo projeto, se viabilizado, vai permitir a geração de novas empresas. “Voltei otimista da missão. Temos muito trabalho pela frente. Dependemos de a prefeitura viabilizar a área e definir como poderemos participar do negócio. Temos um ecossistema organizado e com condições de realizar este projeto”.

Luis Marcos Mancebo Campos também diz que voltou entusiasmado da viagem. Ele frisa que na Fundação Certi existe uma sinergia muito grande entre a academia e o setor produtivo, que pode ser reproduzida em Maringá com excelentes resultados.

Veja as fotos da visita: